Ex-Panicat fala das humilhações nos bastidores do Pânico: “Ficavam completamente nuas”

Após meses com a chegada ao fim do Pânico na Band, a ex-Panicat Carol Dias resolveu fazer revelações das humilhações sofridas nos bastidores do humorístico ao longo de vários anos.  Em entrevista para a jornalista Gabriel Perline, do Notícias da TV, ela relatou que chegou a ser xingada e chamada de gorda durante os cinco anos de trabalho.

Após esse período de humilhação, Carol Dias, sofre as consequências do que sofreu no programa e está com depressão, acompanhada da síndrome do pânico:

“Vou ao psiquiatra e tomo remédio até hoje”. Segundo ela, durante um intervalo, uma das diretoras disse que ela estava com as curvas “fartas”: “Ela começou a gritar comigo, dizendo que eu estava gorda”.

“Foi em 2016, na frente das minhas amigas. Eu tinha engordado um pouco. Mas acho que ela poderia, com delicadeza, me chamar num canto e me falar. O Emílio Surita nunca me chamou a atenção para nada e sempre me elogiava. As meninas [ex-panicats] ficaram chocadas na época com essa diretora”, lamenta.

“[Ela] veio falando que eu estava gorda, cheia de celulite e que precisava me cuidar. Isso me magoou muito. Minha saúde psicológica foi por água abaixo”, explica ela, que acabou indo ao psiquiatra e foi internada durante quinze dias: “Quando voltei ao programa, muitos não tiveram a menor consideração e me ignoraram”.

O estopim para pedir demissão

Portanto segundo Carol, um dos diretores do programa humilhava ela,  fazia ela tirar a roupa contra a sua vontade, sendo esses motivos o estopim para o seu pedido de demissão:

“Tenho um repúdio gigante dele, um cara extremamente machista e que falava coisas sem o menor cabimento”.

“Criaram o reality Largagas e Peladas, e me colocaram como apresentadora. Isso foi a gota d’água para mim. Vi as outras panicats sendo obrigadas a ficarem completamente nuas, participando de brincadeiras sem sentido e sendo humilhadas. Fiquei quatro dias e pedi demissão do programa em setembro do ano passado”, revela.

“Era um quadro de baixo nível e eu estava fazendo aquilo contra o meu coração, pois estavam tratando aquelas mulheres como objetos”, disse ela, que hoje deu a volta por cima: “Me resignifiquei e trabalho como coach de autoestima, justamente porque eu quero que as mulheres se sintam mais felizes e capazes, porque no Pânico eu não me sentia capaz”.

“Eu sou master em PNL (programação neurolinguística), e a gente precisa entender que autoestima é tudo. Eu ajudo a elevar a beleza interna, para que as mulheres se sintam felizes e que entendam que a beleza é um conjunto de coisas da sua mente”, disse ela, que publica vídeos no YouTube e Instagram, oferecendo ajuda às seguidoras.

Entretanto Carol dias atualmente tem um canal no youtube e conta  sobre sua vida sempre nos novos videos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *